2.2.11

Apesar da sorte

Um dia desses a sorte baterá à sua porta, e você, estupidamente irá abraçá-la. Depois que a sorte estiver em sua casa, você morrerá uma outra morte, não a que se conhece, mas, a que a sorte pode lhe oferecer: as graças do destino partilhadas numa vida feliz e sem sofrimento. Então você sorrirá, porque não morrerá, não ficará pobre, será esbelto, sem memória da outra vida, sem sonhos. No entanto, apesar da sorte dominá-lo de forma que você não venha a lamentar; sequer lágrima; sequer angústia; apesar da sorte lhe dominar de forma tal, que você não venha a ser o mesmo, irreconhecível; ali no sonho, onde ainda você é você, ela, cruel como é, o alcançará; depois, nada (i.e., nem você), somente ela.