25.7.08

Thiago Ponce de Moraes

Comentário: Thiago Ponce escreve uma realidade desconstruida à la surrealismo, entretanto, sem uma decomposição da realidade escrita sob a automatização psiquíca (modo de composição teorizado e divulgado por André Breton -teórico e um dos fundadores do movimento surrealista), mas uma desconstrução lingüistica trabalhada e talhada sob o rigor da forma da imagem, do momento e da relação entre as palavras na formação de um novo estado de sensação provocando um estranhamento, o poeta escreve referente a algo, quiçá o mundo, o outro, ou ele (o poeta).




Outridade






Ainda há refúgio à sombra
Ainda ( se à pedra
Ainda ) há


É preciso
É preciso ( dizer o falar se
É preciso ) datar o dia (ainda)


Proléptica
Segue com suas entranhas desliza




das
Muito antes
De trocar acenos
Muito antes
De atiçar um sonho
Esquivado à margem de resquício

s





Saudade


Excentricidade de relógios
Amolecidos

(Fratura
Sensação)

Cada
Atração futura
Atmosfera de outono
Delírio passivo de coisa
Comovida
Com que vive
Enquanto



Anotação ocasional


em vida
houve tempo de falar de lírios
de fitar‐se em rios
e os ver chorar




em vida
impetuosa água atraente
dá o tempo da palavra
de você
etc.,




Poesia ipse


δV/ δx = δ2 V/ δx2



V = x6/6 + tx4/4 + ux3/3 + vx2/2 +wx

.......... ... ...
V' = δV/ δx = x5 + tx3 + ux2 + vx + w
V'' = δ2 V/ δx2 = 5x4 + 3tx2 + 2ux + v


Apocalipse?









THIAGO PONCE DE MORAES é poeta, tradutor e co-editor da Revista Confraria. Faz parte do Conselho Editorial da Zunái - Revista de poesia & debates - e do Jornal de Poesia Contemporânea - O Casulo e é um dos organizadores da Flap! Rio de Janeiro. Tem publicações em diversas antologias e periódicos, com destaque para a Antologia Poetas jovens (no papel rascunho), de 2006, organizada por Virna Teixeira, Brasil; Revista sèrieAlfa nº 33, de 2007, editada por Joan Navarro, Espanha; Antologia VacAmarela (trilíngüe), de 2007, organizada por Andréa Catrópa e Fábio Aristimunho, Brasil; Antologia da Poesia Brasileira do Início do Terceiro Milénio, de 2008, organizada por Claudio Daniel, Portugal; e Fomes de Formas, de 2008, organizada por Antonio Vicente Seraphim Pietroforte, Brasil. Em 2006, seu primeiro volume de poemas, Imp., foi publicado. Para os próximos anos prepara dois volumes de poemas: Cela(-)Canto e De gestos lassos ou nenhuns; além de traduções de Emily Dickinson, J.H. Prynne, Ralph Waldo Emerson e Basil Bunting.




Nenhum comentário: