25.7.08

Lucas Nicolato







Comentário: Lucas Nicolato, é um poeta que em minha opinião trabalha o poema em torno de uma música quase bossa-nova, com delicadeza e refinamento.




proteu



o mar e o teu corpo

tem essa

onda que

dá em mim

e os dois tem

sal e brisa

suave, e uns

fósseis de seres

que habitaram

antes e essas coisas

pequenas que eu

não sei o nome



o mar e o teu

corpo são

calmos, só

se agitam nas

tempestades

quando me afogam

e os dois tem

a areia quente

ao redor, e me

dão vontade

de cerveja gelada

à sombra de

qualquer um




o mar e o teu

corpo são

tão iguais

que sei que não

podem existir

a não ser na

música distante

que soa através da

concha de onde

nunca saí




a arte do poeta
(para Antonio Cícero)

escrever um poema é ser assaltado
e manter o sangue frio

ou fazê-lo ferver, borbulhar e correr
nas frias treliças metálicas
do concreto armado

escrever um poema é costurar
gotas
de suor ou lágrimas
tecer longa colcha de ondas
sobre sonhos profundos

ou subir na espiral dos sons
de uma escada cujos degraus
são as notas de uma canção oca
e ascender
através das nuvens evaporadas
rumo ao sol
ao céu
ao nada






Lucas Nicolato publica no blog http://lucasnicolato.blogspot.com

Nenhum comentário: