26.7.08

Jessé Castilho



Comentário: "Jessé Castilho, assim como expressa seu corpo falante no palco, expressa sua mente em fervura na poesia. Castilho usa sua voz para, de sua forma, dar-nos um "aviso": o mundo está sempre em mudanças e montado nele vê-se Jessé Castilho recolhendo as palavras e espalhando suas sementes por outros mundos ainda desconhecidos. Como um desbravador, Jessé constrói com cuidado seu castelo de mosaico-poético e desce a ponte para todos que quiserem aconhegar-se". _comentário de Joyce Rodrigues. Jessé nos põe numa questão: a luta da palavra do poeta quando está em sua escrivaninha, ou em qualquer outro lugar no mundo buscando a palavra ideal que expresse sua emoção e pensamento, e além disto, nos diz que apesar da luta, apesar da busca e por vezes da ausência do poema na voz do poeta, ele (o poema) "vive!".






******************










(Sem Título)




Tenho três cigarros, uma idéia, nenhuma palavra. Uma xícara de café frio, uma paisagem morta na parede. Tosse. Uma caneta insatisfeita; outro cigarro à boca. Descrições estéries. Perguntas caducas para Deus e para o Diabo. Algumas imagens pornográficas desguarnecidas. Períodos recortados. Tenho anáforas desforadas e circunlóquios esquizofrênicos. (pausa) Não tenho muito dinheiro e tenho contas. Tenho cinco sentidos menos dois cigarros. Tenho ironia para minha insegurança.Uma prosa desarranjada. Motores pipocando (no silêncio) em qualquer asfalto.








*************






Inspiração


Pena, poema.
Pena da folha seca.
Ah, a folha seca sob as lágrimas.
Nem pode, nem seca ao vento.
O outono nem chama, nem a primavera chama.
E a fertilidade a água lava,
Ensopando-me as asas.

Cobrem-me apenas,
“essa gente que me encomenda”
As penas,
Pena poema.
Não há espaço para o vôo.

Palavras empalhadas,
Olhos extintos, o poema contrai-se...
À procura da passagem.
Miraram o pássaro, sem ter nascido.

Não me inventem temas
Como quem inverte os sentidos,
Pois a fornalha está acesa.

Mas oh!

Ó poema,
Contudo pena!
Contudo vive!


**************






Jessé Castilho nasceu em 1985 na cidade de Niterói. É ator, poeta e professor da área de Letras. Participa de eventos literários com o grupo de performance poética "Carpe Noctem".

Nenhum comentário: